Técnicos agrícolas gaúchos buscam criação de quadro de agente fiscal agropecuário
21 de julho de 2021
Meu trabalho como Técnica Agrícola – Juliana Sasso
22 de julho de 2021

Colégio Teutônia, há 69 anos fazendo a diferença

No último sábado, dia 17 de julho, a Fundação Agrícola Teutônia (FAT), entidade mantenedora do Colégio Teutônia, comemorou 69 anos de atividade, uma história feita por muitas pessoas e momentos especiais. Famílias, estudantes, funcionários e professores realizaram suas homenagens pelas redes sociais, principalmente em virtude das limitações impostas pela pandemia. Ainda que sem bolo, sem balões, sem aglomerações, a celebração esteve em torno do lema e tema para o ano: “fazer a diferença”.

“Celebrar em tempos quando aglomerações não são possíveis, atividades coletivas não podem ser comemoradas, celebrações e outras programações não aconteceram, é diferente. Ainda assim, os motivos para agradecer e celebrar são enormes, assim como o foram em todos os outros anos. Se este, por um aspecto, é diferente pela pandemia, não deixou de ser diferente por outro: pelo compromisso que nossos valores, nossa missão, impõem de forma natural ao nosso trabalho. O jeito de ser e fazer do CT adaptou-se aos fazeres, e o legado deixado pelos que nos antecederam, na condição de ser e fazer a diferença, possivelmente nunca tenham tido tanto sentido quanto agora. Celebrar os 69 anos é motivo para reconhecer e agradecer a toda nossa comunidade escolar, parceiros e apoiadores. Seguimos, fortes e confiantes, rumo aos 70”, destaca o diretor do CT, Jonas Rückert.

 

Homenagens no encerramento do semestre

 

Os estudantes do CT prestaram suas homenagens por meio de desenhos, cartas, depoimentos e frases sobre o que o Colégio Teutônia representa na sua trajetória escolar, além de um bolo gigante construído e exposto no saguão do prédio A.

As mensagens são um recorte histórico da vida de muitas famílias e pessoas que levam adiante a semente plantada há 69 anos. “Encerrar o semestre presencialmente na última sexta-feira foi tarefa exitosa. Não foi fácil, é verdade, experimentamos todos, de alguma forma, o amargo sabor desta pandemia. Contudo, nunca faltou apoio, nem ombros amigos. Resiliência é um enorme compromisso com a coletividade, são nossas marcas”, conclui Rückert.

 

História

 

As histórias da FAT e do Colégio Teutônia se fundem e remetem a instituições conceituadas no Vale do Taquari e diretamente ligadas à comunidade teutoniense. Tudo começou em 15 de abril de 1952, quando um memorial, redigido por Asido Dreyer, justifica a necessidade de se criar uma “escola de mestria agrícola” ou de “capatazes rurais” em Teutônia, então 5º Distrito do município de Estrela.

No dia 12 de julho de 1952, por Assembleia Geral, a Comunidade Evangélica institui a Fundação Agrícola Teutônia, dispondo a maneira de sua administração e fazendo a doação inicial das terras previstas no conjunto do programa, o equivalente a cinco hectares.

No dia 17 de julho de 1952, por ato público e solene, a comunidade ratifica o ato de instituição da FAT, mantenedora da então Escola Técnica Rural. Passados quase 70 anos, muita coisa mudou. Uma série de investimentos e melhorias foram realizadas, a escola cresceu e é destaque no ensino técnico profissionalizante do Vale do Taquari e do Estado. Em quase sete décadas de atividades, o Colégio Teutônia já formou milhares de estudantes e cidadãos.

 

TEXTO – Leandro Augusto Hamester

LEGENDA DA FOTO – Colégio Teutônia celebrou 69 anos no dia 17 de julho

CRÉDITO DA FOTO – Divulgação Colégio Teutônia

Os comentários estão encerrados.