Meu trabalho como Técnica Agrícola – Juliana Sasso
22 de julho de 2021
Reinauguração do Prédio Central da Emater/RS-Ascar
3 de agosto de 2021

Emater volta à sua sede na segunda-feira

A sede da Emater/RS-Ascar, no bairro Menino Deus, em Porto Alegre, será reinaugurada na próxima segunda-feira (2 de agosto), em cerimônia com limitação de convidados e a presença confirmada do governador Eduardo Leite e da secretária da Agricultura, Silvana Covatti. O edifício de seis andares, parcialmente destruído por incêndio em junho de 2018, foi totalmente remodelada, das estruturas à fiação elétrica, e voltará a centralizar as atividades da assistência técnica rural no Rio Grande do Sul.

De acordo com o diretor administrativo em exercício da Emater, Lino Hamann, todas as instalações foram modernizadas, numa área total de quase 7 mil metros quadrados. Hamann afirma que a obra foi demorada e complexa porque a direção decidiu restaurar o edifício inteiro e não apenas a parcela atingida pelo fogo. “Já estamos com tudo legalizado, com Plano de Prevenção e Combate a Incêndios (PPCI) aprovado pelos bombeiros e alvará da prefeitura para o funcionamento”, detalha. O diretor informa que o retorno dos servidores à sede será escalonado e deve estar concluído até meados de agosto, conforme for instalado o mobiliário em cada andar.

A presidente da Associação dos Servidores da Emater, Marinês Bock, ressalta que é grande a expectativa dos funcionários, que trabalharam espalhados em outras unidades ou em suas casas durante estes três anos. E diz que os servidores esperam que se cumpram as regras de prevenção à Covid.

Presidência

No dia 4 de agosto, o atual presidente da Emater, Geraldo Sandri, entrega o cargo para Edimilson Pedro Pelizari, ex-prefeito de Pinhal, mestre em Administração, e servidor do Banco do Brasil por três décadas. Sandri comanda a Emater desde abril de 2019 e garante estar satisfeito pelo trabalho que fez. Na administração dele foram implementadas a gestão matricial de recursos e o Programa de Desligamento Incentivado), que reduziu a folha em 291 cargos. “Essa reestruturação proporcionou à Emater uma economia anual de R$ 40 milhões”, calcula Sandri.

Os comentários estão encerrados.