A IMPORTÂNCIA DAS ESCOLAS RURAIS
28 de setembro de 2020
O Desabafo do Marreco, um agricultor “criminoso”.
2 de outubro de 2020

PRODUÇÃO DE CORDEIROS A CAMPO  

A ovinocultura no Rio Grande no Sul, até o início da década de 80 era muito forte e altamente rentável. A valorização da lã em dólar sustentava todo custo das estâncias e ainda sobrava recurso para os demais investimentos necessários, a propriedade e ao lazer do produtor. Com a chegada do produto sintético a ovinocultura entrou em decadência e na quebra do setor ovelheiro por muito tempo. A lã não mais pagava nem o custo anual do rebanho e o consumo da carne não mantinha o setor por ter excesso de oferta no mercado. Com o passar dos anos, devido a drástica diminuição dos rebanhos a carne foi agregando valor, e mais adiante o ovino de lã novamente começou a reagir, principalmente as lãs finas, como as raças Merino Australiano e Ideal, e a lã de ovino de duplo fim como da raça Corriedale teve também uma melhor remuneração, mas ainda muito longe do que já foi um dia, porém a carne tem alta procura, pois tudo o que produzimos o mercado consome e pede mais.

Aqui no município de Rio Grande, na localidade dos Carreiros trabalho com ovinos da raça Corriedale. O plantel é composto por 44 ovelhas (29 adultas e 15 borregas), o carneiro é de origem das melhores linhagens do Uruguai, adquirido na Feira de ovinos meia lã no município de Herval.

A propriedade é constituída de banhados e várzeas, com pastagem nativa, formada por leguminosas como o pega-pega (Desmodium incanum), trevo-nativo e babosa-do-campo dentre outras 150 espécies e em torno de 450 espécies de gramíneas de inverno e verão na região do Pampa Gaúcho. Trabalhamos com ovinos totalmente a campo em extensão, apenas com mineralização em cocho coberto, utilizando sal mineral de fabricação gaúcha, que tenha preço justo, mas em primeiro lugar valorizamos a qualidade do produto, de forma que tenhamos a possibilidade da garantir resultado satisfatório. O primeiro passo é a divisão em 2 potreiros, com troca a cada 30 dias aproximadamente e pastoreio consorciado com bovinos de sobre ano a 2 anos e equinos de todas idades, e os potreiros com lotação de carga animal ajustada a sua capacidade.

Segundo passo, é um bom manejo sanitário, com controle de verminose e dosificação estratégica fazendo inspeções quinzenais no rebanho, além do banho anual contra a piolheira ovina que é obrigatória pela Secretaria da Agricultura do Rio Grande do Sul entre janeiro e março. Entre os meses de setembro e outubro, fizemos a vacinação contra o clostridiose e carbúnculo hemático.

Da parte reprodutiva, o carneiro tem um potreiro em pastoreio consorciado com equinos adultos. A época de acasalamento de 2020 foi de 25 de fevereiro a 15 de abril, sendo utilizado a técnica de reprodução, em encarneirar na mangueira somente a noite e durante o dia descanso no potreiro, o que nos resultou em 91% de prenhes, enquanto que as ovelhas falhadas serão destinadas ao consumo da propriedade.

A parição foi de 108 %, tendo 3 casos de parto gemelar, as mortes foram as seguintes: natimorto 01, morte pós nascimento 02, morte por acidente 01. O resultado da produção foi de 55 % macho e 45 % fêmea.

A castração e descola foi feita 15 dias após nascimento, a esquila do rebanho adulto será entre 15 de outubro a 15 de novembro conforme a apresentação climática do ano corrente, os cordeiros não são esquilados, e as cordeiras em janeiro do próximo ano, a previsão de desmame em torno de 15 a 20 de dezembro, em que as cordeiras e os cordeiros são destinados a outro potreiro reservado, utilizando o mesmo manejo sanitário citado acima, sempre com as revisões periódicas no rebanho. A previsão de abate dos cordeiros será entre março e abril do ano seguinte, com aproximadamente 35 a 40 kg de peso vivo e as borregas são destinadas a reprodução, para incrementar o plantel e reposição das ovelhas que falharam no ano anterior.

Nosso objetivo é em 4 anos chegar em torno de 160 ovelhas de cria, buscando a padronização do rebanho, utilizando a melhor genética Corriedale e buscando o melhoramento da lã, que possibilitará preço diferenciado pela qualidade da produção.

Técnico Agrícola Glauber Guerreiro

4 Comentários

  1. Hey! This is kind of off topic but I need some guidance from an established blog.

    Is it difficult to set up your own blog? I’m not very techincal but I can figure things out pretty quick.

    I’m thinking about setting up my own but I’m not sure where to begin. Do you have any ideas or
    suggestions? With thanks asmr 0mniartist

  2. 0mniartist disse:

    Having read this I believed it was extremely enlightening.

    I appreciate you taking the time and effort to put this informative article together.
    I once again find myself personally spending way too much time both reading and posting comments.
    But so what, it was still worth it! 0mniartist asmr

  3. bit.ly disse:

    Definitely believe that which you stated. Your favorite reason seemed to be on the net
    the easiest thing to be aware of. I say to you, I certainly get irked while people think about worries that
    they just do not know about. You managed to hit the nail upon the top
    and defined out the whole thing without having side-effects
    , people can take a signal. Will likely be back to get more.
    Thanks asmr 0mniartist

  4. http://bit.ly disse:

    whoah this weblog is fantastic i like reading your posts.
    Stay up the good work! You understand, lots of
    people are hunting around for this info, you could help them greatly.
    0mniartist asmr

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *