Técnicos Agrícolas Monitores das Escolas Técnicas Agrícolas do Estado em Busca de Melhores Condições Salariais

AGPTEA promove Encontro de Professores em Restinga Sêca entre os dias 25 e 28 de outubro/23
18 de outubro de 2023
MINHA VIDA COMO TÉCNICO AGRÍCOLA NO IRGA
23 de outubro de 2023

Técnicos Agrícolas Monitores das Escolas Técnicas Agrícolas do Estado em Busca de Melhores Condições Salariais

No dia 18 de outubro, um grupo de Técnicos Agrícolas que trabalham na Escola Técnica da ETA em Viamão, juntamente com o Diretor da Escola, Professor Evandro Cardoso Minho, realizou uma reunião com a diretoria do SINTARGS (Sindicato dos Técnicos Agrícolas do Rio Grande do Sul) para discutir questões relacionadas às suas atividades e remuneração nas escolas Técnicas Agrícolas. Nessa reunião, estiveram presentes o Presidente do SINTARGS, Técnico Agrícola Luís André de Araújo Sasso, e os Diretores Marcelo Dalcin Carvalho e Dirceu José Boniatti.

Uma das principais preocupações levantadas pelos Técnicos Agrícolas foi a baixa remuneração que recebem por seu trabalho como Monitores nas escolas. A situação financeira precária está tornando cada vez mais difícil a manutenção de suas atividades. Além disso, um ponto importante abordado nas discussões foi o fato de que todos os Técnicos Agrícolas que atuam nas Escolas Técnicas de Agricultura no Estado do Rio Grande do Sul, vinculadas à SUEPRO (Superintendência da Educação Profissional do Estado – RS) da Secretaria Estadual de Educação, estão prestes a perder a gratificação Gased (Gratificação de Apoio aos Serviços Educacionais) a partir da folha de pagamento do mês de novembro.

Essa notícia agravou ainda mais a insatisfação dos Técnicos Agrícolas, que veem a falta de valorização do Estado em relação aos profissionais que desempenham atividades essenciais nas Escolas Técnicas Agrícolas do Rio Grande do Sul. A remuneração inadequada e a perda da gratificação Gased estão afetando diretamente a qualidade de vida desses profissionais e sua motivação para continuar contribuindo para a formação dos futuros profissionais Técnicos Agrícolas.

Em resposta a essas preocupações, a diretoria do SINTARGS, liderada por Luís André de Araújo Sasso, propôs um trabalho integrado com todos os Técnicos Agrícolas que atuam nessas escolas, bem como com os diretores e outras entidades ligadas à educação. A ideia é estabelecer um diálogo construtivo com os órgãos governamentais do Estado para buscar soluções para as demandas apresentadas.

Durante a reunião, Sasso também destacou a importância do trabalho realizado pelos Técnicos Agrícolas nas Escolas Técnicas para a formação dos futuros profissionais do setor. Essa formação desempenha um papel fundamental no fortalecimento das cadeias produtivas da agricultura e do agronegócio no Rio Grande do Sul.

Em resumo, os Técnicos Agrícolas do Rio Grande do Sul estão unindo esforços e buscando apoio sindical para enfrentar desafios que ameaçam a continuidade de suas atividades na educação técnica. A reunião com a diretoria do SINTARGS é mais um passo na direção de encontrar soluções para as questões de remuneração e gratificações que afetam sua qualidade de vida desses colegas  que atuam na área  da educação técnica no estado.